• Por Ricardo Dutra

Vaso sanitário porcelana?



Em 1885, Thomas Twyford criou os primeiros vasos sanitários de porcelana, que substituíram as versões de madeira, até então utilizadas. E lá se vão 136 anos de uso da “bacia, privada ou trono”, como o vaso sanitário é também chamado no Brasil. Nesse período, muito se avançou em tecnologia, mas os vasos continuam sendo feitos em porcelana. Antes de entender o porquê, sugiro entendermos as quatro funções básicas deste item essencial dos banheiros:


● Apoiar de forma segura e anatômica o usuário;

● Receber os dejetos;

● Transportar os dejetos para a tubulação de esgoto;

● Manter o isolamento dos gases da tubulação de esgoto através do selo hídrico.

Há também a função decorativa, que só recentemente ganhou mais força, com a valorização dos banheiros nas últimas décadas, e sendo assim, cada vez mais se cria neste sentido.

Para além das funções básicas, há fatores importantes que definem a construção deste equipamento. São eles:


● A segurança do usuário, que é conferida pela resistência física do material que recebe ao longo de anos os impactos constantes da parada do peso de um corpo em movimento sobre a peça;

● A necessidade de baixo custo, uma vez que se trata de um equipamento básico, que deve estar presente em todas as moradias, por uma questão de impacto, inclusive, na saúde pública;

● A higienização, que depende de uma superfície impermeável e pouco porosa;

● A utilização do mínimo possível de água em cada uso.

Um vaso sanitário, item que parece trivial aos olhos desavisados, na realidade é um equipamento com projeto e fabricação complicados, cheio de detalhes que garantem a performance daquilo que é a função mais básica: mandar embora os dejetos, utilizando o mínimo possível de água.


Os vasos sanitários são feitos de vítreo, nome correto do material que chamamos de porcelana. O item é fabricado por meio de um processo que utiliza água e argila, que é moldada e coberta por esmalte. Feito isso, é passado por um forno que completa o processo de fabricação, que pode ser considerado de baixo custo.


Para uma estrutura complicada e de tamanho significativo, a fabricação em plástico por extrusão ficaria proibitivamente cara, além do fato do plástico não ter a mesma rigidez e a baixa porosidade da porcelana, que mantém a higiene ao longo dos anos de utilização e limpeza com os mais variados e agressivos produtos químicos.


Há, porém, vasos feitos em outro material. Trata-se do aço inoxidável. As características deste contemplam todas àquelas citadas no início deste texto, com exceção de uma: sua produção é bem mais cara. Mas por que então eles existem? Para atender a uma necessidade fundamental de segurança em locais com alto índice de vandalismo. Os modelos são utilizados largamente em estabelecimentos prisionais. Isso se dá pelo fato de que a porcelana poder ser facilmente vandalizada e, uma vez quebrada, seus pedaços podem ser utilizados como armas, por serem altamente cortantes.


A DRACO atua fornecendo modelos em aço-inox para ambientes prisionais e outros modelos no mesmo material para demais locais sujeitos ao vandalismo, como sanitários públicos em estações de trem, metrô, estádios, pontos turísticos e mobiliário público. Fornecemos também tais produtos para a área de saúde, pelo fato dos vasos em inox suportarem mais peso do que os convencionais, até 500 kg, o que é importante no caso de pacientes obesos.


O material ainda é indicado e procurado pelo mercado de alto luxo, que está sempre em busca de exclusividade e novas possibilidades de materiais, formas e texturas, para a caracterização dos ambientes requintados.



Posts Em Destaque
Posts Recentes

Sobre

DracoNews foi desenvolvido para ficarmos mais próximos do nosso público alvo, você!

Nosso conteúdo é para quem busca dicas e informações sobre automação de sanitário, decoração, produtos em aço inox, economia de recursos, etc.